Pensamento 37

37

Ninguém sabe que coisa quer. Ninguém conhece que alma tem, Nem o que é mal nem o que é bem (Que ânsia distante perto chora?) Tudo é incerto e derradeiro. Tudo é desperto, nada é inteiro. Ó Portugal, hoje és nevoeiro… É a hora! Fernando Pessoa